2007-11-07

Stanley Turrentine


Calculo que Stanley Turrentine nunca tenha sido aqui mencionado , o facto não deve porém ser interpretado como uma menor valia deste excelente sax-tenor nascido em Pittsburgh em 5 de abril de 1934 e que com apenas 16 anos já fazia parte da banda de Ray Charles onde peramaneceu nos anos 50-51 antes de substituir John Coltrane na banda de Earl Bostic .

Caracterizado por uma sonoridade barroca , densa , enraizada nos blues , a sua musica estende-se do hard-bop ao Soul e na fase final da carreira também ao Fusion , seguindo linhas de pensamento destes estilos , um retorno á simplicidade intuitiva , formulas lineares , melodias simétricas , um afastamento da complexidade que o Bebop propunha e que dominava as tendencias da época .

As obras que conheço de Stanley Turrentine demonstram um cuidado extremo na concepção e execução , um perfeccionismo latente espelhado na escolha cuidada dos musicos que vulgarmente formavam as suas bandas , como o album The Spoiler de 1966 , editado pela Blue Note , donde foram extraidos os 3 temas abaixo e onde se faz acompanhar pelo trompetista Blue Mitchel , o pianista McCoy Tyner , Pepper Adams no sax baritono e James spalding .



The Magilla
La Fiesta
Sunny







No album Sugar de 1970 , Turrentine não fez por menos e reuniu George Benson na guitarra , Freddie Hubard no trompete , Lennie Lonnie Smith no piano elétrico ,Ron Carter no baixo , Billy Cobham na bateria , Butch Cornell no orgão e ainda alguns convidados , Airto Moreira , Hubert Laws e Johny Hammond



Sugar
Sunshine Alley
Gibraltar



No album Cherry de 1972 a banda é composta por Milt Jackson , o vibrofonista dos Modern Jazz Quartet , o pianista Bob James , Billy Cobham na bateria .

Speedball
Cherry
The Revs




Stanley Turrentine faleceu no ano 2000 , vitima de um grave acidente , editou a 1ª das suas 70 obras em 1960

Gostaria de clarificar que o Hard-Bop , exibe a classificação Hard , o que não indica um estilo duro ou pesado , mas antes um estilo pouco ornamentado ou rebuscado , melodias simplistas , mas cuja beleza apela á emoção irracional e pretende acordar sentimentos profundos , tendencia levada ainda mais longe pelo Soul-Jazz . O abandono das pretensões intelectuais a favor das emoções simples e a rudeza destes estilos soava como uma traição a tudo o que o movimento bebop representava , olhados com desdem pelo meio musical mas adorados pelo publico que se deixou fascinar por este Jazz que lhes falava directamente á alma numa linguagem simples e bela .
Entre os responsaveis por esta filosofia musical que procura ser puramente emocional atraves da beleza da simplicidade , encontram-se musicos como Horace Silver , Cannonball Adderley ou Art Blackey e os famosos Jazz Messengers .




0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial