2007-09-25

O sexo Forte II

        Um pretenso cliente entrou ontem numa ourivesaria da Rua Costa Cabral , pediu para ver um fio e uma medalha em ouro e quando as tinha na mão tentou sair porta fora .
        Tentou , porque as duas funcionárias da loja se fizeram a ele e apesar de intimidadas por duas facas durante o confronto donde sairam com ligeiros cortes superficiais e alguns arranhões , deram luta , arranharam , bateram , empurraram e rebolaram mesmo no chão com o ladrão durante a refrega , até que o burburinho alertou transeuntes e vizinhos que o parilizaram até a chegada da policia .

        Uma analise simplista e intuitiva dos factos concluirá talvez que as duas miudas tiveram uma atitude irreflectida , pouco inteligente e perigosa , o que não deixade ser verdade , mas uma analise tão simplista estará não só desvalorizando um dos mais nobres sentimentos da raça humana , a coragem , como reduzindo a actos irreflectidos e pouco inteligentes as acções de quem salta em aguas revoltas ou entra num edificio em chamas para salvar algúem , já não falando dos que puseram em risco a sua própria vida pela liberdade dos outros , a liberdade que hoje gozamos .

        A coragem implica riscos , reduzi-la porque os implica é negar áprópria condição humana a nobreza dos sentimentos que são a base da nossa espiritualização , é normal que tenhamos noção do perigo , mas é perigosamente anormal que queiramos ver nela apenas actos irrefletidos .

       Para evitar que coincidencias temporais provoquem a ira de alguma deusita mais chamuscada por semelhanças temáticas com factos da vida real , que fique claro que isto é valido apenas para maiores de 18 anos e não deve ser tentado em casa ...

        Este episódio torna a por na mesa a pertinencia da questão do 1º post « o Sexo Forte » , adivinhem num futuro próximo quem ficará a menter o fogo acesso e quem irá á caça ...




0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial