2007-09-19

Chet Baker , again ...



Será dificil acreditar que um dos maiores musicos de jazz , depois de uma longa e brilhante carreira e de mais de uma trintena de obras , poucos momentos antes de morrer tenha visto vedado o acesso ao quarto onde entre seus poucos pertences se encontrava o inseparavel trompete e sofrido a humilhação da exigencia do pagamento adiantado no quarto dum hotel rasca de Amesterdão .
Foi do 4º andar desse hotel que Chet Baker saltou , caiu ou foi simplesmente empurrado pela velha amiga , foi na calçada de pedra duma rua anónima da capital da Holanda que finalmente Chet Baker encontrou a paz de espirito que toda a vida em vão procurou . Estavamos em 1988 .



Morreu sem saber que o futuro lhe reservava um lugar de honra na história do jazz , sem saber que muitos anos mais tarde muitas pessoas como eu , o venerariam e respeitariam , sem saber que o respeito que gozavam os que o desrespeitavam seria enterrado com eles , mas o seu seria eterno .

Vitima constante da ignorancia de todos os que classificavam a sua obra pelos valores da sua existencia , viu constantemente negado o reconhecimento que outros musicos de importancia questionavel tiveram , deixou-nos uma imensa e valiosa discografia , no testamento deixou a todos quanto gostam de musica a voz masculina mais bela da historia do jazz .



É meu profundo desejo que Chet Baker descanse na paz que nunca teve em vida , é profundo também o meu agradecimento pelos deliciosos momentos que sempre me proporcionou a audição da sua obra e o encanto que a sua voz tem prestado á minha existencia .



Há algo inconfortavél na musica de Chet , o sofrimento como componente musical incomoda-me um pouco , sem o sofrimento a obra de Chet seria inevitavelmente diferente , melhor ou pior , não seria esta que tanto adoro , a obra que tanto adoro e admiro é direta ou indiretamente construida no sofrimento de alguem por quem sinto algo mais do que seria normal sentir por um musico , uma obra inconfortavelmente agradavel , acham que tou a precisar dum psiquiatra ? Sejam sinceros ...


Escolhi um album com um titulo um tanto significativo , Le Poete du Jazz , um album editado em 2003 , não faz parte da discografia original , será uma coletanea duma editora qualquer , uma seleção muito feliz diria , mais uma vez « A Voz » ...

Um Clássico , My Funny Valentine , duas versões , a primeira voalizada a segunda apenas instrumental

My Funny Valentine 1
My Funny Valentine 2

Uma pra Folhita

You Don´t Know What Love Is

Tres temas não tão conhecidos

Sweet Lorraine
I Fall In Love To Easly
My Old Flame



Neste video do ano de 1986 , dois anos antes da fatidica queda , Just Friends , mesmo não tendo a tonalidade limpida e cristalina de outros tempos , uma voz arrepiantemente bela e a companhia sempre agradavél de outro grande senhor do jazz , Stan Getz .







1 Comentários:

Às 15:00 , Blogger Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

ehehehe Ad eu bem digo que ainda te converto ao SCP

Nunca te vi escrever tão bem.
Beijos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial