2007-08-06

Antologia do Poder I , A Guerra dos Calhaus

Quatro decadas atras , quando era um miudo , O Porto tinha uma densidade populacional enorme , a rua onde o meu pai tinha uma lojita , a Rua do Paraiso , tinha imensos prédios , a diferença é que eram prédios deitados , as chamadas ilhas , um corredor estreiro com muitas casas de ambos os lados , casa minusculas , entre 15 a 30 metros quadrados , os quartos de banho sem chuveiro ou agua quente e um buraco para as necessidades , a chamada cagadeira á caçador , eram um bem comum ... Muitos miudos dormiam na cama com os pais , aos pés , e um simples pão com qualquer recheio era uma iguaria que qualquer um estaria disposto a gamar até ao melhor amigo...
Felizmente nunca passei a fome , não sendo uma familia rica ( nem de longe , muito longe ...) nunca passei por essa privação . mas tinha muitos amigos que lhes saltariam os olhos da orbita se lhes representasse um bom prato de sopa .

A falta da televisão tinha as suas reprecursões , cada familia tinha montes de filhos, a falta de espaço para brincar podia ter consequencias drasticas e levar mesmo á guerra ...

A Ilha Velha era um conjunto de ilhas em ruinas , os moradores tinha sido deslocados para que o local desse origem a uma passagem com um parque de estacionamento que ainda hoje não existe , mais tarde foi colocado ai um infantario , em pré-fabricados e parte dos terrenos vendidos para construção .
Esse era o nosso parque infantil ...
Os problemas começaram a surgir quando os putos da Regenração , a viela que limitava a Ilha Velha pelo outro lado , decidiram que aquilo tambem lhes pertencia .
E foram-se agravando sempre que o grupo deles apanhava sós algum de nõs ou nós apanhavamos alguns deles , as tentativas de pacificação saiam sempre goradas .
A primeira , um jogo de futebol , nem 5 minutos durou antes de começar tudo á pêra , as seguintes não tiveram melhor desfecho , estavamos num impasse e a unica solução encontrada foi um guerra de calhaus que decidiria quem ficava com o local ...

Muitos de voces que nunca serviram estruturas para-militares talvez não saibam o que é uma guerra de calhaus , é simples , como as proprias palavras o dizem era uma guerra onde a arma era o arremesso de calhaus , a única proteção eram os escudos , as tampas metalicas que sacavamos dos baldes do lixo .
Os dois grupos colocavam-se á distancia necessaria para alcaçar o oponente e era uma pedra ...
Foi marcada adata , ficou claro que quem se cortasse tava feito ao bife e foi mesmo criado um pequeno tribunal para julgar casos de deserção e cobardia ...

Ganhamos o local , apenas com 4 baixas , 4 cabeças rachadas , umas negras no corpo , nada que um soldado não estivesse habituado ...

Como se ganha uma guerra destas ? Simples , vamo-nos aproximando lentamente do adversario , intimidando-o até que a coragem se vá e desate a pirar-se com as pernas a bater no cu .
No ponto mais alto hasteamos a bandeira que fizemos , como veêm a moral era alta , o nosso capitão era o Fredo Ranhoso e o seu braço direito o Heroita ( alcunha derivada do nome dum chines que diziam ser a pessoa mais feia do mundo , mas ele não conheciam o Heroi , diminuitivo amoroso como tratavamos o Heroita ) ...



0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial