2007-08-06

Contos da Primária - Texto 6

Nos meus tempos de criança a falta de informação era substituida por dogmas , mitos e tabus que dominavam os comportamentos sociais . Havia por exemplo am mania de não deixar os canhotos usar a mão esquerda para escrever . Talvez vos espante mas isso era visto quase como que uma deficiencia fisica . Como canhoto vivi de perto esse problema .

A certa altura da minha vida , antes da primaria , a minha mãe cujo lema de vida sempre foi " nós somos aquilo que aparentamos ser " e apesar das dificuldades económicas , decidiu colocar-me num desses colégios chiques , A Santa Cecilia ...
Nesse tempo de grandes divisões sociais , o abismo entre mim e os miudos como eu e esses miudos ditos ricos era tão grande que se tornava intransponivel . Aqueles putos chegavam á mesa e a sua preocupação era que talher deviam usar , qual a pinça pros escargots , a maior parte dos miudos que conhecia chegavam á mesa e a sua preocupação era terem algo onde espetar o talher , tinham comportamentos diferentes , estudavam piano , ballet , os chauffers vinham busca-los á porta , falavam esquesito e eram uns conas ... Não gostava deles ... O sentimento era mútuo , eles tambem não gostavam de mim e faziam questão de o mostrar... Fui naturalmente colocado á margem , os unicos que me davam atenção era directora , má como as cobras , que implicava comigo cada vez que me via e uma professora novita que era uma grande cabra , sempre que me apanhava com um lapis na mão esquerda torcia-me a orelha , que grande cabra ...
Fui salvo pelo destino num dia chovoso ...
Romantico , hem ?
Verdade , chovia a potes , por isso a minha avozinha foi-me buscar á escola .
A minha avó era uma mulher do povo , uma vendedora analfabeta e pobre que tinha a coragem dum leão . Não tinha medo de homens nem mulheres , não tinha medo de Deus nwem do Diabo . Nascida em 1900 atravessou 2 grande guerras sempre no seio duma familia pobre , era uma resistente ...
Quando a vi á porta com o seu avental , aquelas roupas que pareciam sempre o arco-iris e o indespensavel xaile , percebi que aquele dia o calvário tinha acabado corri pra ela . A directora que lhe tinha aberto a porta travou-me violentamente , deu-me 2 safanões e uma tapa na cabeça e disse :
- Menino parvo , faz favor de ir buscar o seu casaco .
A minha avó levantou o chuço , dirigiu-se a ela e disse :
- Sua grande cabra , sua puta de merda , isso são maneiras de tratar o meu menino ?
Vou fode-la toda , vou enfiar-lhe o guarda chuva pela goela abaixo ...
A diretora virou costas correu e tiveram de segurar a minha avó que não parava de dizer :
- Sua badalhoca , sua cabra , vou mata-la ...

Foi um dos dias mais felizes da minha vida , não parava de dizer pra minha avó , és a maior vó e chamaste-lhe puta , não foi ?
A vozinha rematava , deixa estar quando apanhar aquela cabra na rua vou-lhe esgadanhar aquela cara toda ...

Quando cheguei a casa soube que tinha sido despedido , que lindo dia ...
A diretora telefonou a minha mãe , minha Srª não queremos que mande mais o seu filho pra nossa escola , a sua mãe é uma malcriada , fez aqui um escandalo ....

Como veêm cresci a ouvir não é com essa mão , com a direita , direita , esquerda , direita , e no meio de todo isto não havia ninguém capaz de me explicar razoavelmente
porque tinha de ser assim .
Mesmo o meu prof da 1ª e 2ª classe que era uma joia não me deixava usar a canhota , depois de muito o chatear ameaçou-me , se te volto a ver escrever com a esquerda vou obrigar-te a usares um pano amarrado á volta dela , a verdade é que um pano por cada vez tinha virado múmia .

Uma das coisas que os profs da época não gostavam de descurar era caligrafia , uma letra bonita , redondinha , com ligações perfeitas entre cada elemento era essencial . Para isso praticavamos imensas copias nos chamados cadernos de 2 linhas , cópias intermináveis , e era tão dificil manter as letras dentro das linhas , mas os resultados eram espantosos , havia caligrafias que eram verdadeiramente uma arte , uma arte que não estava ao meu alcance ... Se já tentaram escrever com a esquerda compreenderão facilmente .

Era uma questão de tempo até que o sr Areias fosse confrontado com a minha caligrafia , nunca pensei foi que reagisse tão mal :
- O que é isto ?
Nem sequer era tá mal , o que é isto ?
Caiu-me mal ...
Mesmo depois de lhe dizer que era canhoto , o que duvido que se tivesse dado ao trabalho de ouvir , continuou a insultar a minha caligrafia ...
Será que ele faria melhor se o obrigasse a escrever com a esquerda ?
Toda aquela opressão juntou-se e explodiu , sentia que a justiça estava do meu lado
e avancei :
- É o tipo de caligrafia que qualquer pessoa teria se fosse obrigado a escrever com a esquerda como eu sou obrigado com a direita , não tenho a precisão com a mão direita que tem qualquer outra pessoa porque sou canhoto , se me deixar escrever com a esquerda já sai melhor , não muito porque nunca tive oportunidade de praticar , porque sempre fui obrigado a escrever com a direita .
- Vai ao quadro ...
- Escreve o teu nome
Quando ia a escrever corrigiu , com a mão esquerda .
Escrevi e nova ordem , agora escreve por baixo com a mão direita .
Não é que ele ficou impressionado ? Ou então foi tocado por algum anjinho do ceu , pegou no meu caderno , deu dois passos e disse :
- Nos ditados onde tens de escrever rápido não te vou exigir uma caligrafia exemplar
, no resto não quero voltar a ver nada parecido com isto (levantando o caderno no ar) , mais dois passos , lançou o meu caderno no cesto dos papeis e continuou a aula ...



0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial