2007-08-06

Contos da Primária , Texto 1

       Os meus primeiros quatro anos de escola foram divididos entre o ceu e o inferno . È usual dizer-se que nas escolas do antigo regime a réguada era a lei , não é totalmente verdade , haviam também as canadas ( nada confortaveis essas canas ressequidas quando descreviam todo aquele arco e aterravam directamente nas nossas orelhas ) , mas muitos professores havia que simplesmente não tocavam nos seus alunos , apesar de ser uma opção perfeitamentente institucionalizada , calculo que não o fizessem por questão de principio ou fossem simplesmente pessoas com um bom coração ..
        O meu primeiro professor , o Sr Natal , fazias jus ao seu nome , durante os dois anos que estive com ele , os meus primeiros na escola , nunca o vi encostar um dedo num aluno ou aplicar qualquer outro tipo de castigo . Era exigente quando ensinava mas brincalhão quando havia tempo , tratava-nos com imenso carinho e era muito muito paciente apesar dos seus 60 anos .

        Ao fim de dois anos mudei de professor , fui para a classe do diretor , o Sr Areias , a sua reputação hoje em dia poderia ser comparada a de Bin Laden e não foi dificil perceber porquê .
        Fui transferido não conhecia ninguem , sentei-me muito caladito e esperei que tocasse . Tocou , passou 1 ou 2 minutos , o prof não chegava , começou a gerar-se aquele burburinho , vem , não vem , até que alguem gritou VEM AÍ ...
Fez-se um silencio de morte , podiam-se ouvir as moscas a zumbir ... O Sr Areias chega , não diz uma palavra , dirige-se á secretaria , abre a gaveta , saca duma regua grossa . O meu colega de carteira , o Angelo, a quem chamavamos "a menina", desata logo a chorar . Atónito vejo o prof começar no 1º aluno junto á porta e terminar no ultimo do lado oposto destribuindo 6 reguadas a cada aluno .
        Não era normal , aquele gajo que não conhecia de lado nenhum , ainda não me dirigira uma unica palavra e já me tinha espetado 6 reguadas , as minhas primeiras reguadas e eu nem sabia porquê ...
       Na primeira oportunidade perguntei "á menina" o que tinha sido aquilo , explicou-me que quando chegava se ouvisse o minimo barulho levava tudo pela medida grande , sem exepções ...
       Começaram aqui as minhas primeiras duvidas sobre as vantagens da democracia ...
        Chega o intervalo , grande farra , toca para entrar , está o prof na porta régua na mão , passa , passa , tu prá li , passa , passa , passa , tu pra li , quando entrei fui dos "pra li" , mais 6 reguadas , sem saber ler nem escrever , sentei-me perguntei ao colega , carago e agora porque é que levei ? Foi por estares a transpirar ... Os que chegam transpirados do recreio levam ...
        Que saudades do professor Natal ....
        O prof faz uma pergunta , ninguem responde , levanto-me e respondo , na boa , mais 4 reguadas e fiquei a saber que só devia responder depois de devidamente autorizado .
        A verdade é que depois de conhecer as regras aquilo ás vezes até era divertido e não eram uns bolitos que me iam tirar a boa disposição .... E até havia dias em que o Areias estava bem disposto , em alguns até chegava a sorrir ...

        O SR. tinha um metodo muito especial de ensinar a tabuada , chamava meia duzia de alunos ao quadro , regua na mão , como era habito , perguntava 8x4 ? Tinhamos uma fracção de segundo para responder e se não soubessemos uma outra fracção para esticar a mão , mais 2 reguadazitas , a coisa triplicava se hesitassemos a dar a mão e se a retirassemos no momento da verdade os numeros variavam conforme o humor .

       Curiosamente aceitei aquilo muito bem , desde pequeno entendi a dor como apenas um momento passageiro , quase como comer uma malagueta , arde mas passa rapido , as reguadas não eram muito diferentes ...
        Embora não concordasse com os seus metodos nunca achei que fosse uma má pessoa , agradava-me o facto que não establecia diferenças , algo perfeitamente institucianalizado , também nunca me pareceu que tivesse prazer em castigar ou se sentisse bem em faze-lo , acho que simplesmente não sabia ser doutra forma .
        Um dia , depois de ser cliente habitual das reguadas por transpiração e de ter também já ganho um pouco do seu respeito , assim que tocou para entrar isolou-me . Já viste como estás ? Encharcado em suor , achas que estas em condições de assistir a uma aula ? Parece que gostas de levar umas reguadas ...
       Baixei os olhos e fiquei calado , ele insistiu , responde ...
       Ao contrario da generalidade da turma , evidentemente tinha medo mas não me aterrorizava , tinha consciencia que quando falava com ele devia medir muito bem as palavras , se não queria ficar com as mãos como um cepo , mas achava-o uma pessoa acessivel e justa á sua maneira , assim respeitosamente expliquei-lhe , sr professor eu transpiro muito , dou 2 corridas e fico assim , a unica forma de o evitar era chegar ao recreio e sentar-me enquanto todos os outros meus amigos brincam e não acho que seja justo , cumpro os meus deveres , estudo , faço sempre os trabalhos de casa , estou atento nas aulas , colaboro sempre que posso , mereço brincar durante o recreio como os outros .
        Fez-se um silencio angustiante que parecia não ter fim , até que o prof disse , vai-te sentar , faz favor quando acabar os recreios passas no WC , lavas a cara e a cabeça e enxaguas-te .
Durante um tempo esqueceu as transpirações e nunca mais foi tão rigoroso , mas volta e meia iamos a entrar todos esbaforidos , tu , tu , tu e tu , que é que os meninos andaram a fazer ? Há que esticar a mão ... Escusado será dizer que eu era o presidente honorario ...



0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial