2007-08-09

Contos da Primária , O Recreio

A minha antiga escola primária , a nº 61 de Stº Ildefonso , era um casebre antigo adapatado , no inverno era muito fria , não havia qualquer tipo de aquecimento á exepção da régua do Areias , pior que o frio era o facto que quando chovia não havia recreio para ninguém .
A verdade é que também não tinhamos um recreio , tinhamos um pátio com talvez 50 metros quadrados . Saiamos da sala no 1º andar e uma escada de pedra levava-nos directamente ao pátio ,no extremo um corredor estreito de alguns metros onde ao fundo havia um galinheiro adaptado para WC .

As escadas de pedra devem vir ainda no guinesse-Book , raro era o dia que alguem não caisse ou fosse empurrado por elas abaixo , todos queriam ser o primeiro a chegar ao recreio , 40 animais desenfreados correndo pra liberdade por uma escada com pouco mais de 1 metro de largura , era inevitavél ...

Não foi dificil encontrar uma forma de rentabilizar o espaço e adpata-lo ás necessidades . Para não se perder muito do precioso tempo a formar grupos , dividiamo-nos , benfiquistas dum lado portistas do outro , uns faziam o quartel general nas escadas outros no corredor de acesso á cagadeira , finalidade , expulsar o adverdario da sua propria casa ...

Para além das rivalidades clubistica logo implicadas , tornava-se quase impossivel resistir no meio de tanta confusão á regularização de contas antigas , o ambiente aquecia mas o toque do sino pacificava tudo rapidamente e numa arrepiante demonstração de fair-play ajudavamos sempre os feridos a subir as escadas . Quando tudo corria bem eram apenas uns arranhões , joelhos esfolados , olhos negros ou lábios rebentados , quando corria pior era um bracito ou um dedo partido , uma cabeça rachada , algo a que todos estavamos habituados ... De qualquer forma sempre
preferivel a não ter recreio , os dias de chuva eram uma calamidade , além de não podermos brincar raro era o dia que o Areias ao voltar da sua pausa não nos enxousasse por termos feito
barulho , não só não tinhamos sequer uma oprtunidade de esticar as pernas como tinhamos de permanecer 20 minutos em silencio absoluto . Quando o Areias estava mal disposto , depois da habitual rodada , fazia ainda um ditado , escolhia sempre um texto dificil e era tipo sobremesa ...

O Areias tinha o vicio parvo de quando saia da sala deixar-me a mim ou ao Angelo a tomar conta da classe , detestava aquilo , tinha de por no quadro o nome do pessoal que fazia barulho , como nunca punha ninguém era sempre eu que apanhava . Para o Angelo também não era simples , não que até não gostasse de delatar alguem para engraxar o prof mas tinha consciencia que á saida levaria uma grande sova e não se atrevia a tanto , por isso quando o prof dizia , Angelo tomas tu conta , abria logo a torneira , nunca percebi onde arranjava tantas lagrimas ...



0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial