2007-08-09

Contos da Primária , O Exame

Com o aproximar do exame da 4ª classe o Areias começou a demonstarar algum nervosismo que foi crescendo com o tempo . Tornou-se evidente que era uma questão de honra ter o menos numero de reprovações possiveis , uma tarefa dificil numa turma onde mais de metade era uns nabos e com uma extensa e diversificada matéria para falhar .

O numero de coisas que tinhamos de saber era abismal quando não ridiculo , como as principais linhas ferreas cujas estações e apeadeiros tinhamos de saber de cor e salteado , no corpo humano o nome de todos os ossos , da mão , da perna , do braço , a pequena e a grande circulação , o sistema digestivo , o sistema respiratorio , os rios , os afluentes , onde nascem , onde desaguam e com se não chegasse tinhamos ainda as provincias ultramarinas , mais rios , mais linhas ferreas , mais provincias , tinhamos Historia de Potugal , começavamos no Viriato , fundação , 1ª Dinastia , 2ª , 3ª , 4ª , nomes dos reis , datas dos reinados , batalhas e batalhas com Espanha era coisa que nunca mais acabava , dats e mais datas , tratados , descobrimentos , pergunto-me sempre como conseguiamos meter tanta merda na tola ...

No dia do exame o Areias visivelmente nervoso e agastado , chamou-me e ao Angelo e pediu-nos para que dentro dos possiveis prolongassemos o tempo do exame , isso encurtaria o tempo disponivel para exminar os restantes e aumentaria as possibilidades de exito da turma e avisou-me para me manter nos assuntos da matéria e não me armar em parvo com as minhas teorias .

Quando entrei na sala de exame , primeira coisa tirei a gravata que a minha mãe me tinha obrigado a por , desapertei o botão da camisa e espantei-me com aquela sala de aula , tão diferente da minha velha escola , até o quadro era de cor diferente , era branco , de plastico e nem fazia aquele barulho arripiante do giz a passar na lousa . Não deu para muitas mais observações porque fui logo o primeiro , desvantagens do nome começar por A .
Havia 3 profs , mandaram colocar-me junto ao quadro e começaram as perguntas . Fui respondendo descontraidamente e ao chegar-me ao quadro vi uma coisa esquesita que me chamou a atenção , um compasso de madeira muito grande , prai 50 cm ... Nunca tinha visto um compasso na minha vida , não resisti e sorrateiramente comecei a mexer-lhe , um dos profs levantou-se tirou o compasso e fez voz grossa :
- O menino veja lá mas é se está concentrado no que lhe pergunatamos .
Olhei para ele e perguntei :
- Porquê já respondi a alguma coisa mal ?
Foi uma pergunta inocente , estranhei ver o Areias levar as duas mão á cara , sorri-lhe e continuamos .
O prof que me tinha interrogado até então calou-se e começou outro :
- Vamos agora falar de história , sabes que tivemos 4 dinastias , escolhe lá uma para falarmos , queres a 1ª dinastia ?
Olhei para o Areias que com um largo sorriso me indicava que sim com a cabeça .
- Pode ser a 4ª Dinastia , respondi .
O Areias voltou a por as duas mãos na cara ...
Passado algum tempo diz o prof , bom , muito bem , acabou o teu exame .
- Quê , é só isto ? já acabou ?
O Prof que me tinha tirado o compasso perguntou com ar intimidador , queres continuar ?
- Quero sim sr professor , respondi .
E continuamos ainda um bom bocado , o palermão do compasso tentou passar-me todo o tipo de rasteiras , inutilmente ...
Quando saí o Areias correu para mim levantou-me ao ar , abraçou-me e deu-me um beijo . Fiquei de boca aberta , era algo novo , o homem afinal até tinha sentimentos e conseguia ser carinhoso , disse-me :
- Tu não estavas a brincar , tens mesmo nervos de aço , nunca vi um exame assim , não erraste uma pergunta e estavas ali como se estivesses a comer um gelado , como consegues ?
Era o momento de exacto de lhe puxar as orelhas , ele até já nem era meu professor , a minha mae e a minha irmã também estavam ali , não devia de haver muito perigo , olhei-o fixamente nos olhos e a brincar a brincar disse-lhe :
- É que antigamente quando andava na primária tive um professor muito mau que nos batia constantemente com a regua , na classe vivia-se um ambiente de medo e terror , para sobrviver tinha de ter nervos de aço ...
Obtive uma resposta que não esperava :
- Eu apercebi-me que depois do problema com o Fredo tu mudaste , nunca mais foste tão simpatico como eras , deixaste de colaborar voluntariamente nas aulas e não me voltaste a procurar no fim para tirares duvidas e fazeres perguntas , como era teu hábito . Talvez agora não compreendas mas um dia mais tarde vais compreender , o que eu fiz pode ter marcado a diferença entre amanha o Fredo ser um homem honesto ou um bandidola qualquer , achas que o fiz por prazer ?
Vai-te lá embora , desejo-te muitas felicidades , nunca me vou esquecer de ti .
Afinal enganou-se , ainda hoje não compreendo aquela sova horrivel que o Fredo levou e acho que nunca vou compreender , apesar da sova o Fredo hoje em dia é um bandidola , e voltou-se a enganar , não é um bandidola qualquer ...



1 Comentários:

Às 23:20 , Blogger Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

ando deliciada com estes contos...
beijos

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial