2007-01-23

O Quinteto Parkeriano

       As leis que pervalecem na formação e composição das bandas de jazz baseiam-se na relaçao das sonoridades e alianças sonoras .   As combinaçoes sonoras entre um vibrofone e uma guitarra não são as que tornam possivel o encontro entre um trompete e um saxofone , a necessidade da procura dum equilibrio entre sonoridades define como uma banda será composta .   Uma das formações mais vulgarizadas no jazz é o quinteto parkeriano que serviu de modelo a muitos grupos clássicos e comtemporaneos.  Nos grupos deste tipo duma vozes melódicas opõem-se a uma ritmica , assegurando o piano a ligação entre as duas . Regra geral os instrumentos de sopro expõem o tema em unissono no principio e no fim de cada trecho . Pelo contrário cada um deles encontra-se sozinho ao lado da secção ritmica quando se trata de improvisar . O piano faz um solo em cada trecho , outras interpretações servem de trampolim ás exposições do baixo e da bateria .

Dois temas , Latin Jazz de Arturo Sandoval e Marslis.  Trumpet Band Solo de Wynton Marsalis .   A Força do primeiro rei do jazz , o trompete , que acabaria por ceder o trono ao saxofone .


       Lógicamente poder-se-á concluir que o quinteto parkeriano , compreende de facto dois quartetos (secção ritmica + 1 voz melodica) e um trio (piano , baixo , bateria) quando o pianista faz o seu solo . Os quartetos com esta formação e os trios acabam sendo portanto emanações do quinteto bop original .
Inversamente , certos sextetos , septetos e octetos ou nonetos , não são senão quintetos alargados (uma ritmica acrescida por vezes de guitarra ou tuba ,trompa , orgão , de um segundo contrabaixo mais 2 , 3 , 4 ou 5 vozes melódicas).



      Os quintetos classicos mais famosos com uma existencia relativamente prolongada foram os de Tadd Dameron (45 a 50) , Fats Navarro , o de Clifford Brown e Max roach , os mais famosos , os de Dizzy Gilleslie e Charlie Parker , e o mais famoso da historia do jazz , o de Miles Davis e John Coltrane , com Red Garland no piano , Paul Chambers no contrabaixo e Phily Joe Jones na bateria .





       Mas como são as execepções que fazem as regras , formacões que desmentiam a lógica foram aparecendo , formações invulgares , como a banda de Stan Getz de 1950 constituida por ele (sax) , o guitarrista Jimmy Raney e o trombonista Bob Brookmeyer . George Shearing reuniu um vibrafone , guitarra , contrabaixo e bateria ao seu piano . Chico Hamilton dispensou o piano , usou um saxofonista-flautista-cornetista (Buddy Collete e depois Paul Horn) , o guitarrista Jim Hall na guitarra ,um contrabaixista-violoncelista (Fred Katz) . Os Modern Jazz Quartet que são um quarteto tradicional que trocou a voz melodica metalica pelo vibrofone .
       Outras inovações surgiram como os duetos , alguns bem originais como o do falutista Herbie Mann com um Vibrofone , Joe Pass Com Ella fitzgerald ,Bill Evans e Jim Hall . Um dueto que se vulgarizará virá do trio clássico dispensando a bateria .




       Os trios classicos de jazz são talvez o tipo de formação mais antiga , já existiam antes da revolução bebop (Art Tatum e Nat King Cole) . Eram contudo muito diferentes em filosofia dos pos-bebop , bateria e contra-baixo serviam apenas de muleta ao pianista , os trios modernos são construidos no dialogo entre diferentes elementos , e o mais famoso é sem duvida o de Bill Evans , Scoot LaFaro e Paul Motion .

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial