2007-01-15

Jay Jay Johnson


A vivacidade e a sinusidade do fraseado caracteristicas do Bebop pareciam torna-lo inacessivel para os especialistas de varas .
Se o trombone de pistões podia aspirar a a uma mobilidade satisfatória ,
o de varas parecia condenado a ilustrar uma musica menos vertiginosa .



O receio justificado que o trombone de varas se juntasse ao clarinete entre os instrumentos sem aplicação no jazz moderno não pareceu afectar o jovem de 20 anos , convidado da orquestra de Count Basie , que começava a construir uma sólida reputação nos night clubs da 52ª Rua , sobretudo no Minton´s onde frequentemente participava em jam-sessions ao lado de Monk , Parker , C Christian, kenny Clarke e outros Bopers .



Dois temas , dois clássico , Blue Bossa , na companhia dum dos maiores
guitarristas do jazz , Joe Pass , e LÇover Man

Blue Bossa
Lover man

James louis johnson , carinhosamente chamado de Jay Jay , parecia não recear nem os temas de recortes engenhosos , nem os tempos desordenados ou o polirritmo das baterias , nem mesmo a mobilidade caprichosa da trompete gillespiana . Com serenidade , exibia uma tecnica deslumbrante , veiculo concretizador das ideias duna imaginação fecunda .
Amante do rigor , nunca tocou uma nota para satisfazer a avidez publica por exibições atleticas , a musicalidade era o seu unico fim . Teve dificuldade em fazer acreditar a outros trombonistas que ouviam osseus discos , que tocava um instrumento de varas e não de pistoes .


Nascido a 22 de Janeiro de 1924 em Indianapolis , começou a estudar piano aos 11 anos , tres anos mais tarde optaria pelo trombone , aos 17 anos arranjava o seu primeiro contrato profissional na orquestra de Clarence Love . Começou a brilhar na orquestra de Snookum Russel ao ladode Fats Navarro e Ray Brown . Passou pela banda de Benny Carter onde conheceu Max Roach e finalmente a banda de Count Basie .

Mais 5 temas de JJ Johnson


It Could happen to you
Get Happy
Capri
Blues for Trombone
It´s You or No One


As suas primeiras influencias viriam inevitavelmente de outros virtuosos do trombone , Jack Teagarden , Trummy Young e Dicky Wells , mas depressa virou as suas atenções para o estilo dos saxofonistas e trompetistas , habitualmente interditos aos artistas de varas .
Modelou o seu fraseado sobre o dos trompetistas e tentou tocar longas frases bem ligadas como os saxofonistas , trabalhou a clareza da emissão e da pronuncia de cada nota sobre os tempos mais doidos , chegando a uma mestria surpreendente . A arquitetura da frase , a precisão ritmica , os conhecimentos harmonicos foram igualmente objecto de analise e exercicios minuciosamente conduzidos e repetidos , o que lhe viria a possibilitar dar a cada nata o seu valor exacto qualquer que fossea vivacidade do tempo .


Proibindo-se toda a precipitação , a sua ciencia de colocação e de respiração melodico-harmonica confere ás suas improvisações aquele andamento natural , desligado , que faz esquecer o esforço dos lábios , das mãos e do espirito . Maturidade , distinção , paciência , elegancia e originalidade do andamento , são com efeito os elementos mais constantes do seu jogo , mal se dá conta ele improvisa , poder-se-ia pensar que continua a interpretar uma composição escrita .
As ideias encadeiam-se com uma logica implacavel .

Queria deixar uma nota pessoal , fiquei impressionadissimo com JJ Johnson , nunca tinha ouvido um trombone soar assim , sem dúvida um executante fora de serie , num instrumento dificil como é o trombone de varas .

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial