2006-09-21

O Mito de Sisifo

Já tinha antes citado neste blog "O mito de Sisifo" , mas é uma historia tao bonita e profunda que nao resisti a faze-lo de novo . Dedico-a ao Guerreiro e peço-lhe que de futuro aborde temas mais agradaveis , para me por deprimido o telejornal é suficiente .
O Mito de sisifo nao esta directamente relacionado com o Suicidio , mas esta-lhe intimamente ligado pela extremidade oposta , o amor á vida .

Sisifo era um grego anonimo na Atenas classica . Ficou doente , foi consumido pela febre . Um dia enlouquecido pela mesma pediu á esposa que deitasse o seu corpo na praça publica e o deixasse morrer ali . As esposas Atenienses aceitavam escropulosamente as ordens dos maridos , como vos poderá confirmar o Chico Buarque , e esta nao foi excepção , lançou o corpo do marido na praça principal de Atenas até que a senhora negra o viesse buscar .
Sisfo morreu . Mas depois de morto , ja na outra vida , começou a pensar que a sua esposa nao deveria te-lo escutado , afinal sabia que a sua febre lhe toldava o juizo , deveria te-lo poupado á humilhaçao duma morte na praça publica , era sua obrigação te-lo dissuadido e desobedecido .
Assim procurou os deuses , explicou-lhes a situação e pediu-lhes que o deixassem voltar á Terra para castigar a infame esposa . O pedido foi aceite e Sisifo voltou á terra com um prazo de 2 dias para resolver o assunto . Quando descia uma das tantas encostas gregas , ia tao enebriado pelos cheiros que há tanto tempo nem sentia , que só reparou naquela bela moça que se aproximava quando fixou os seus enormes olhos negros que pareciam penetra-lo até ao fundo do coração . Tinha enormes cabelos negros
e era mais elegante que a propria Diana . Sisifo apaixonou-se loucamente por ela , a vida parecia-lhe agora tão diferente , nunca os cheiros tinham sido tao intensos , nunca o vinho fora tao doce , nunca o amor tinha sido tao arrebatador ...
Sisifo esqueceu completamente a vingança que o trouxera ali e esqueceu o prazo de 2 dias para voltar . Os deuses enviaram-lhe uma mensagem para que voltasse , a qual ele ignorou , nao que nao temesse os deuses gregos famosos pelos castigos infringidos aos prevaricadores , mas simplemente porque achava que aquilo valia mais que tudo o resto .
A vida maravilhosa de Sisifo durou uma semana , finda a qual foi arrastado á força até á presença dos deuses no Olimpo . Na sua ausencia tinham já decidido o seu castigo , deveria ser exemplar , ele desafiara os deuses . Decidiram que o pior castigo que se pode dar a um homem é obriga-lo a fazer um trabalho inutil , e Sisifo iria faze-lo por toda a eternidade .
Foi construida uma pequena montanha cujo acesso ao cume se fazia por uma rampa inclinada , Sisifo devia empurrar uma enorme pedra ate ao cume , empurra-la e faze-la cair no abismo . Depois Desceria a rampa e voltaria a empurrar a pedra até ao cume , empurra-la-ia e ela cairia , e assim havia de ser por toda a eternidade .

Albert Camus nunca foi propriamente um romantico , mas nao resistiu perante a historia de Sisifo , e segundo a sua versao pessoal dos factos , quando Sisifo descia a montanha , nao era o homem triste condenado a uma tarefa inutil para toda a eternidade , não renegava o acto que o pusera naquela horrivel situação , quando descia trazia um brilho nos olhos e um sorriso nos labios , pensava na sua amada , no vinho , nos cheiros , no sol , nos passaros , na semana louca que tinha vivido , e nao se amargurava pelo seu triste destino , estava contente por o ter feito , vivido aquela semana , e pensava que possivelmente fora a unica que realmente viveu .

1 Comentários:

Às 22:28 , Blogger P. Guerreiro disse...

Agradeço a dedicatória.
Sempre deixamos alguma coisa para trás. Às vezes a nossa pedra é tão pequena que nem damos por ela.
Não conhecia a história de Sisifo…Não conheço Albert Camus…
No entanto tudo me parece bastante verdadeiro.
É um prazer ler-te!
Um abraço!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial