2006-07-18

Manuel António Pina

Gostava de deixar aqui algumas palavras de carinho e apreço ao Sr. Manuel Antonio Pina , jornalista que tem prendido a minha atenção no pequeno espaço que lhe reservou o JN , na ultima página , o « Por Outras Palavras » . Se sente alguma magoa por as suas linhas terem sido escorraçadas para a ultima página , talvez goste de saber que é por onde começo a ler o jornal , pela sua coluna...
Melhor que tecer elogios , será transcrever um dos seus textos , neste caso « Benditos sejam os canhões » de 18/7/2006 .

Passam hoje 70 anos sobre o golpe militar de Franco contra a democracia espanhola, que marca o inicio do pesadelo nazi-fascista que a Europa iria viver ao longo de uma das decadas mais sanguinarias da sua História . A Frente Popular vencera as eleições e obtivera a maioria nas Cortes .
Direita , Igreja , carlistas e grandes proprietários começaram desde logo a preparar o golpe que reporia a "tradição católica e autoritária de Espanha" e faria voltar as coisas á situação anterior á vitória eleitoral da Républica em 1931 : 2000 familias donas de metade do país , provincias inteiras nas mãos de um só homem ; 12 milhões de analfabetos , 8 milhões de pobres , salário médio de 1 a 3 pesetas por dia (um quilo de pão custava 1 peseta). Enquanto Hitler e Mussolini ofereciam a Franco armas e batalhões, França e Inglaterra optaram por uma cobarde neutralidade cujo preço dolorosamente pagariam pouco tempo depois . "Benditos sejam os canhões" , clamou a igreja abençoando os conspiradores . Em 3 anos , os canhões ceifaram meio milhão de espanhois e mais 2 milhões foram assassinados durante o franquismo , fazendo de Franco , com Hitler e Staline , um dos maiores criminosos da história europeia . Resta saber se a Europa aprendeu alguma coisa .

3 Comentários:

Às 22:35 , Blogger P. Guerreiro disse...

Dá que pensar, assim como a atitude de Salazar ao fechar as fronteiras. A guerra civil espanhola foi um teste em todos os aspectos para o que viria a acontecer. Testaram-se ideologias, bombardeamentos, refugiados, massacres, antecipação do que se passou na Europa entre 1939 e 1945 que levou a vida a 55 milhões de pessoas sem contar com feridos, estropiados, esfomeados e milhões de deslocados. A guerra fria, passando pela criação do estado de Israel e libertação de Africa, foram acontecimentos precipitados pelo conflito mundial. Estranhamente parece que a história nos prega partidas e desde que a Segunda Guerra acabou manteve um conflito no médio oriente que dura até aos nossos dias, serão só ironias? Espero que sim.
O problema é que as coisas já não se resolvem na Europa, digamos que a Europa vai a reboque tentando não perder o resto de influência que ainda detém, muitas vezes mais por prestígio cultural e histórico.
Gostei muito do tema…
Um abraço AD!

 
Às 22:52 , Blogger Suga_Mentes disse...

Tens razão Guerrereiro , foi precisamente um teste , só espero que não estejamos novamente em fase de testes com a situação no médio oriente . sinceramente acho que já tivemos testes e guerras em demasia , é mais que tempos de testarmos um mundo pacifico , com preocupaçoes ambientais , capaz de assegurar um futuro , pois pior que destruir o presente seria destruir as condições á existencia dum futuro .

 
Às 22:04 , Anonymous Anónimo disse...

best regards, nice info
» » »

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial